quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

ai a EDP, ai a EDP...

Mau serviço irrita-me.

Irrita-me profundamente, quando empresas com capacidade para melhor servirem não o fazem. Passo a explicar. Recebi um aviso de corte de gás por parte da EDP. Que tinha uma factura em atraso e que me iam cortar o gás caso não me dirigisse a um centro de atendimento e regularizasse a situação. Primeira queixa: não me dizem qual a factura, não me dizem qual o valor e não me informam de qual o centro de atendimento mais próximo de minha casa. Tudo dados que podiam fornecer para prestar um melhor serviço. Dão-me sim, um número para o qual devo ligar com estas perguntas todas. Faço-o. Depois de uns minutos lá sou atendido. A única maneira de pagar esta factura em atraso é mesmo dirigindo-me a um centro de atendimento ou loja Singer com o serviço. Ok, e qual a loja mais próxima? Tem no Cacem ou em Lisboa. Como? Cacem ou Lisboa?? Mas eu moro em Sintra, não há nada mais perto?? Tem o do Cacem. Pois, já me disse. Então dê-me a morada por favor. Avenida dos Bons Amigos, 62B. Qual o horário de funcionamento? Dez às treze e quinze às dezanove. Muito Obrigado.

Lá fui. Ligar sarcasmo. O Cacem tem sempre pouco transito e é facílimo estacionar. Especialmente agora com as obras todas. Mal chego à loja fico logo bem disposto. Desligar sarcasmo. Uma loja da Singer mais pequena que as do centros comerciais e com uma fila de cerca de 20 pessoas que já chegava à rua. Felizmente não chovia, apesar da vaga de frio. Lá esperei na rua, que me deu tempo para pensar e ouvir.

Pergunto-me como é que é possível que uma empresa como a EDP ache satisfatório mandar os seus clientes para uma loja de 20 metros quadrados para pagar facturas e enquanto esperam têm de ficar na rua?

Ouvi que nos passados 2 dias anteriores as pessoas foram para lá para pagar as facturas e que quando lá chegaram depararam-se com "falta de sistema" e impossibilidade de pagamento.

Pergunto-me como é que é possível que uma empresa como a EDP não tenha mais nenhum método de pagamento possível senão este?

Lembro-me que podiam ter uma referência multibanco para fazer o pagamento, aceitar uma transferência bancária, podiam cobrar novamente numa factura futura, podiam insistir no débito directo (que é o que eu uso!)... até por paypal podiam aceitar pagamento!! Mas não, isso tudo seria muito à frente. É muito mais fácil mandar os clientes passear para Lisboa ou Cacem, esperarem na rua para serem atendidos, arriscarem-se a "não haver sistema" e enfrentarem uma senhora que deve tomar óleo de rícino de manhã para não querer responder a um simples boa tarde à entrada e outro à saída.

Penso que isto só é possível em monopólios.

Ridículo.

3 comentários:

Didas disse...

Também já tive uma aventura muito querida com a EDP

http://farinhamparo.blogspot.com/2004/12/os-gnios-das-lmpadas-e-dos-objectos.html

restolho disse...

Também já me aconteceu o mesmo: do Estoril para uma loja Singer para pagar factura do gás.

Qual a loja mais perto? Alfragide ou Linda-a-Velha...

É preciso manter a boa disposição!

Anónimo disse...

Eu estando em Lisboa dirigi-me à Loja do Marques de Pombal, pedi uma segunda via da factura e para pagar tive que sair a rua (??!!) Sim! tive que atravessar a rua e ir AO QUIOSQUE DE JOURNAIS em frente !!! por que é O QUIOSQUE QUE É O AGENTE AUTORIZADO DA EDP (??!!!) MESMO A PORTA DA EDP E COM CLIENTES ENVIADOS PELA EDP (??!!) Mas que aberração é esta??? E claro melhor nem perguntar pelo negocio fantástico que o dono da outrora banquinha de jornais faz, (com uma dose de arrogância e má educação) tomára, logo a porta da EDP e com os clientes (e comissões ) enviados pela própria EDP. Isto só ... só na EDP!!!